sexta-feira, 22 de abril de 2011

O Espiritismo crê na existência de Santos?

São Francisco de Assis
Na Igreja Católica e na Ortodoxa algumas pessoas são oficialmente reconhecidas como santos. Elas são vistas como tendo feito algo de extraordinário ou tendo uma especial proximidade com Deus. A veneração dos santos, em latim, cultus, ou o culto dos santos, descreve uma especial devoção aos santos populares. Embora o termo "culto" seja frequentemente utilizado, significa apenas prestar honra ou respeito (Dulia). O Culto Divino está devidamente reservado apenas para Deus (latria) e nunca para o Santos.

Na doutrina católica, uma vez que Deus é o Deus da Vida, os santos estariam vivos no céu, podendo por isso interceder ou orar junto a Deus por aqueles que estão ainda na terra. A Igreja Católica baseia sua crença no dogma da comunhão dos santos e na passagem bíblica "Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de, súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens" (1 Tm. 2:1).

Para o cristianismo católico, são santos todos aqueles que foram convertidos e salvos por Jesus Cristo, ou ainda desempenharam uma obra admirável segundo os preceitos católicos. Em Igrejas como a Católica, a Ortodoxa e a Anglicana, pessoas reconhecidas por virtudes especiais podem receber oficialmente o título de Santo. Esse título denota que além de grande caráter a pessoa está na graça de Deus (no céu), mas a falta desse reconhecimento formal não significa necessariamente que o indivíduo não seja um santo. Em muitas Igrejas Protestantes, onde não há qualquer processo de canonização, a palavra é muitas vezes usada mais genericamente para designar qualquer pessoa que é cristã.

Como o Espiritismo lida com essa questão?


Normalmente, os espíritos tidos como santos, ou que receberam esse título, são espíritos muito adiantados evolutivamente, ou espíritos de luz, quando realmente tiveram méritos para receber esse título. Porém nem todas as pessoas que foram canonizadas são realmente espíritos evoluídos. Alguns são muito atrasados e acabaram sendo canonizados por interesses diversos.

No Espiritismo, acreditamos que não é a canonização que transforma a pessoa em "santo", e sim a sua conduta bondosa, amorosa, caritativa e exemplar. Alguns santos canonizados nem sequer existiram, pois o Papa João XXIII destituiu vários deles por não poder comprovar sequer a existência.
Além disso, o título "santo" é um título meramente humano, não tendo um valor real.

Devemos lembrar que há muitas pessoas que nem mesmo foram cristãs e que são muito mais adiantadas moralmente do que muitos dos chamados santos.

Fonte de Pesquisa: Wikipédia e Portal do Espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...