sábado, 3 de julho de 2010

Auxiliar


Não se detenha ante os impositivos do verbo auxiliar, nas dimensões do progresso. No culto do auxílio, abra o coração ao socorro e você descobrirá as fortunas da caridade ao alcance de suas intenções: Palavras de amor;
Expressões espirituais;

Esquecimento do mal;

Bondade desinteressada.
As jornadas ao infinito começam na primeira atitude. Você pode auxiliar onde quer que esteja, com o que tenha, como se encontre. Mas faça algo por você mesmo, fazendo qualquer coisa pelos outros.
Não se detenha! Ligando-se ao Senhor, irmane cerébro a coração no ministério do auxílio, vencendo as distâncias espirituais que o afastam d'Ele e seguindo resoluto sob o peso da própria cruz, a fim de receber os clarões divinos na glória da imortalidade.

MARCO PRISCO
Livro: Legado Kardequiano
Psicografia de Divaldo Pereira Franco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...